Terror: três “consensos” fabricados

Atentados não têm motivação religiosa predominante; seu alvo principal não é a Europa; e resposta repressiva só os alimentará, Veja por que, nesta entrevista em vídeo concedida à “PUC Analisa”

The following two tabs change content below.

Reginaldo Nasser

Chefe do Departamento de Relações Internacionais da PUC-SP e prof do Programa de Pós-Graduação San Tiago Dantas (Unesp, Unicamp e Puc-SP). Endereço para acessar CV: http://lattes.cnpq.br/0717133384261187

2 ideias sobre “Terror: três “consensos” fabricados

  1. “A primeira delas é associar os atentados à religião”, claro que não. Se eu gritasse que Jesus é grande, ou que Deus é pai aí seria religião. A verdade, Reginaldo, é que vc não passa de um ativista e está dentro de uma instituição católica fazendo defesa da “religião da paz”. Por que o senhor não explica a ligação do Islã com Moscou? Por que nunca vejo o senhor explicando que depois do Afeganistão começou a haver trocas entre o Islã e o comunismo? Ora, tenho certeza que o senhor nem vai se dignar a responder e se responder vai apenas me acusar de ser um idiota que acredita em conspirações. E talvez elas existam mesmo: Hamas, Al Janniah… Tenho muita vergonha de dizer que estudei com o senhor.

  2. prezado . infelizmente, não há como responder suas questões, pois a mensagem esta desconexa. deve ter havido algum problema de formatação. reveja a redação, por favor
    obs – Puxa, me esforcei para lembrar de voce como aluno, mas não consigo.
    salamaleykun

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *